Ana Lúcia cobra regularização do pagamento de vigilantes de escolas estaduais

Escrito por Débora Melo Ligado TPL_WARP_PUBLISH . Publicado em Notícias

A deputada estadual Ana Lúcia usou a tribuna para se solidarizar com centenas vigilantes terceirizados das escolas da rede estadual que estão com seus salários atrasados. A denúncia foi veiculada num programa de rádio na manhã desta terça-feira, 06.

Uma das empresas está há dois meses sem receber o valor do contrato com o Estado e, portanto, sem pagar os funcionários. Para outra empresa, o atraso chega a sete meses. “Eles estão avisando que a partir de amanhã, mais de 400 vigilantes não vão tomar conta das escolas para oferecer a segurança dos estudantes, professores e toda a comunidade escolar”, alertou Ana Lúcia.

Diante desta grave denúncia, a parlamentar cobrou que a Secretaria de Estado da Educaçao regularize a situação junto às empresas para que estas possam efetuar o pagamento dos salários dos trabalhadores e trabalhadoras. “Esperamos que a Secretaria de Estado da Educação pague ainda hoje a empresa terceirizada para que os vigilantes possam continuar trabalhando”

“O governo estadual de Jackson Barreto conseguiu levar a rede estadual de educação a uma profunda crise, marcada pela falta de diálogo, por uma política extremamente seletiva e excludente (sobretudo no ensino médio), e pela desresponsabilização do ensino fundamental pela rede estadual”, finalizou a parlamentar.

Dados Nacionais

Ana Lúcia destacou ainda dados retratados na Revista da Comissão de Educação do Senado Federal que apontam os rebatimentos das desigualdades sociais na escola e o completo desmonte da educação pública brasileira. “Dois milhões e quinhentas mil crianças estão fora da sala-de-aula; 50% dos adolescentes mais pobres estão fora da sala de aula; 21% das famílias mais pobres não tem acesso a creches”, lamentou a deputada.

Pequeno expediente

Em pronunciamento no pequeno expediente, Ana Lúcia faz também o registro sobre a apresentação de requerimento em que solicita audiência pública para debater os recorrentes casos de queda de fios de alta tensão que já provocaram 3 mortes nos últimos 2 meses.

Ela aproveitou ainda para convidar a população para participar da audiência pública que irá tratar sobre o papel da mulher na luta pela democracia no Brasil e na América Latina. Na ocasião será lançado o livro “Mulheres capelenses em destaque”, da professora e historiadora Denilsa de Oliveira Santos. A audiência acontecerá na próxima quarta-feira, dia 07, as 14h30, no plenário da Alese.